COMO MANTER OS ALUNOS DISCIPLINADOS [DICA 3/6]: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO.

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZER

Você já se deparou com alguma situação em que chegou a discutir com aluno? Ofendeu e/ou foi ofendido por ele? Provavelmente sim, pois isso já tem acontecido com quase todos os professores, seja ele recém-formado ou experiente.

Chega uma hora em que o professor perde a paciência. Não é verdade?

Mas, acredito que você percebeu que discutir com o aluno é perda de tempo, não resolve absolutamente nada, ou seja, discutir com aluno é simplesmente inútil.

O que resulta na verdade quando o professor “bate-boca” com aluno é aumentar ainda mais a indisciplina, assim como os conflitos em sala de aula.

Você quer saber mais como surgem ou se desenrolam os desentendimento em sala de aula, que levam o professor a discutir com o aluno? Vamos entender essas questões, para que possamos evitá-las.

Continue lendo…

1. OS TIPOS DE DISCUSSÃO MAIS FREQUENTES SÃO:

a) Questionar com aluno 

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZERÉ muito comum o professor começar ou continuar com algum tipo de questionamento com o aluno, quando manda fazer algo, ou quando não permite fazer o que ele gostaria.

O que acontece é que o professor manda o aluno fazer, por exemplo, a atividade. O aluno, por sua vez, se justifica e na maioria das vezes responde com algum tipo de provocação, o professor não admite, e por aí começa a desencadear uma discussão, logicamente desnecessária.

Poderia citar aqui outros exemplos, mas acredito que você já conseguiu lembrar de muitas situações que levam a algum tipo de argumentação prolongada como essa.

Portanto, vejo não ser necessário e até precipitado alguns tipos de argumentação que o professor faz com o aluno.

Então entenda, como você pode resolver esse tipo de situação.

  • Sugestão para agir:

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZER

Quando o professor perceber que algum tipo de pergunta ou resposta vai dar início a um tipo de questionamento longo, e que pode até gerar uma discussão acalorada, é aconselhável que o educador evite-os.

Fique sempre atento para isso e procure mediar seu aluno de forma inteligente, não dando espaço para questionamentos.

No exemplo citado acima, você apenas peça para o aluno fazer a tarefa, caso ele comece com algum tipo de argumentação, seja ela qual for, não argumente com ele, mas tome as medidas necessárias.

Seja um mediador do seu aluno de forma que já resolva qualquer questionamento que porventura ele ainda tente usar.

Use sua autoridade com calma e sabedoria, e tome atitude correta na hora certa, não cometa duas vezes o mesmo erro, mas aprenda com os erros para não voltar a cometê-los.

Tenho certeza que você agora já vai saber exatamente como agir.

b) Fazer perguntas redundantes 

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZER

Perguntas do tipo: Lucas, por que você não fica atento a explicação? Ou, por que você estar conversando em vez de fazer a atividade?

Sei que você estar pensando: nossa, faço isso sempre! Mas calma, eu também já fiz muito isso, aliás, todo professor faz, ou já fez isso alguma vez.

Diante de perguntas como essa, é óbvio que o aluno desse tipo não pensa duas vezes e já responde: “Essa aula é muito chata!” ou “Eu mesmo não vou fazer essa atividade, é só besteira mesmo!”.

Resposta é que não vai faltar para que o aluno ofenda e envergonhe o professor, e o pior é que vai ter vários dos colegas junto com ele para apoiá-lo, e o professor acaba usando  o mesmo método da argumentação e novamente vai ser inútil.

A indisciplina continua aumentado cada vez mais…

  • Sugestão para agir:

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZER

Diante de situação como essa em que o aluno não está atento a explicação, ou está conversando com o colega, em vez de estar fazendo a tarefa, a sugestão é que você não faça nem uma pergunta, apenas repasse para ele o que ele deve fazer como sem falta, ou em um caso mais complicado, chame-o em particular, converse com seu aluno e oriente-o.

De forma simples você consegue resolver uma situação aparentemente complexa, só depende de você tomar a atitude certa e usar a ferramenta correta.

Saiba acima de tudo que você deve, sempre, evitar problemas com os alunos na sala e aula, aliás, tente conquistar cada dia seus alunos com amor e autoridade, para que você consiga, enfim, desenvolver com mais eficiência a sua função. 

c) Pedir justificativas

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZER

Da mesma forma que o professor deve evitar perguntas com respostas redundantes, é importante também que não peça justificativa de nem um tipo de comportamento do aluno, pois ele pode responder algo que você não queira ouvir, e na maioria das vezes com a intenção mesmo de irritá-lo.

O aluno sempre gosta de ver a reação do professor diante de respostas ditas por ele, por isso procura de todas as formas provocar esse tipo de situação.

É lógico que isso não acontece com todos os alunos, pois apesar de ser raro, mas ainda existe alunos que respeitam a autoridade do professor.

  • Sugestão para agir:

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZER

O ideal mesmo é que quando o professor quiser alguma justificativa ou respostas para a resolução de algum tipo de indisciplina também é aconselhável que o professor chame o em particular e resolva  somente com ele.

Você já percebeu que na frente dos colegas os alunos ficam mais soltos e tende a responder mal o professor somente para chamar a atenção?

Pois é, você já sabe disso, então cuidado para não ser vítima de chacotas por parte de determinados alunos ou até mesmo da turma inteira. 

2. CASOS QUE PROVOCAM A MANIFESTAÇÃO DA DISCUSSÃO EM SALA DE AULA:

DICA 3: JAMAIS DISCUTIR COM O ALUNO, MAS MEDIÁ-LO NO QUE DEVE FAZER

Além do que já vimos, existe ainda outras situações que pode provocar ainda mais a discussão entre aluno e professor, veja quais são:

  • O aluno saiu de casa depois de presenciar uma briga familiar;
  • O aluno foi xingado ou espancado pelo pai ou pela mãe;
  • O aluno acabou de ouvir os pais falando mal dos professores;
  • O professor que já está estressado, ou cansado depois de dar aula em outras turmas;
  • Quando a turma não gosta do professor;
  • Quando o professor passa um trabalho complexo;
  • Quando o professor explica a matéria e ninguém entende nada;
  • Quando o professor não se prepara para dar aula e tenta improvisar;
  • Quando o professor não trata seus alunos com respeito;
  • Quando o professor não tem autoridade e age com autoritarismo;

Portanto, a minha orientação diante de todas essas situações, é que no nosso dia a dia da sala de aula, precisamos aprender com nossos erros e buscar sempre proveito deles.

Mudarmos nossa prática e criar novas ferramentas e estratégias que nos ajudem a executar as transformações em nossa postura.

É essencial revermos e aprimorarmos nossos conhecimentos sobre a administração da sala de aula, relacionamento interpessoal, resolução de conflito e novas práticas pedagógicas.

Compartilhe esse artigo com seus amigos para que juntos possamos ajudar o máximo de professores a manter a disciplina, não discutindo com o aluno mas mediá-lo no que deve fazer. Deixa seu comentário com a sua opinião aqui abaixo.