PROFESSOR – SAIBA LIDAR COM A INDISCIPLINA EM SALA DE AULA

Você já se deparou com uma turma de alunos que não obedecem e nem respeitam colegas, professores, diretor, enfim os funcionários da escola? Alunos que falam palavrões, sobem nas carteiras, brigam com os colegas, não prestam atenção nas aulas, enfim bagunçam o tempo todo? Você já refletiu, entendeu o porquê de toda essa indisciplina? Já aprendeu lidar com ela?

Você vai entender o que é na verdade a indisciplina e como lidar com ela de maneira mais inteligente ao longo desse artigo.

Diante de inúmeros problemas que são identificados na sala de aula e na escola de modo geral, a indisciplina sem sombra de dúvida é o que mais preocupa os professores, coordenadores e etc.

A indisciplina pode impedir de maneira direta o desenvolvimento do processo ensino aprendizagem, ou seja, o desenvolvimento dos próprios alunos, que inclusive na maioria das vezes são vistos como alunos “rebeldes” e “insuportáveis”.

Mas, será se são os alunos mesmos os únicos responsáveis por todos os conflitos que acontece em sala de aula?

Não, os alunos não são os únicos responsáveis. “Por trás desse problema – visto pelos professores como um dos principais entraves da boa Educação -, há a falta de conhecimento sobre o tema e de adequação das estratégias de ensino” Beatriz Vichessi Thais Gurgel

Na verdade, não somente alunos e professores, mas na maioria dos casos, cada componente do processo tem uma parcela de responsabilidade, inclusive a família, que é a principal responsável pela educação da criança.

Infelizmente a culpa dos conflitos sempre cai, única e exclusivamente, sobre os alunos.

Vamos saber como tudo isso acontece, ao longo desse artigo.

O QUE É INDISCIPLINA?

INDISCIPLINA – procedimento, ato ou dito contrário à disciplina; desobediência, desordem, rebelião. (Dicionário Aurélio) .

Segundo o professor Júlio Groppa Aquino: “O conceito de indisciplina, como toda criação cultural, não é estático, uniforme, nem tampouco universal. Ele se relaciona com o conjunto de valores e expectativas que variam ao longo da história, entre as diferentes culturas e numa mesma sociedade. ”

Diante disto percebemos que a indisciplina aparece quando alguém transgride alguma ordem ou combinado, isto é, faz algo que foi pré-estabelecido para não ser feito por ser considerado errado, ante ético, ante social, em uma sociedade, comunidade, escola, etc.

As normas são construídas socialmente com base em princípios que visam o bem comum, ou seja, em princípios éticos.

Entenda que os processos de indisciplina infelizmente estão presente em todos os âmbitos da sociedade.

O movimento contínuo de construção e reavaliação de regras, mais o respeito a elas, é a base de todo convívio social. Saber lidar com eles faz com que você consiga trabalhar melhor.

Para tanto, é importante saber que a indisciplina tem seu ponto positivo, que é quando você a trata como um sintoma.

A INDISCIPLINA COMO SINTOMA?

SIM, um sintoma.

Quando uma pessoa sente uma dor, logo ela vai procurar saber quais as suas causas, pois a dor provavelmente é apenas um sintoma de que a pessoa está com algum problema de saúde.

Podemos também considerar o problema da indisciplina da mesma forma, se ela está presente na sala de aula, é indispensável que o professor procure saber as suas causas.

  • A indisciplina indica que algo não estar indo bem e que precisa melhorar;
  • A indisciplina é uma referência para nos indicar se estamos próximos ou distantes daquilo que queremos.

Se a indisciplina é um sinal de que algo não está bem, você precisa saber o que está errado, para evitar que você rotule imediatamente seu aluno como “aluno-problema” ou mais um que “não quer nada da vida”.

Identifique exatamente o que está acontecendo com seu aluno a razão de está conversando muito, em vez de está atento as explicações, está xingando, brigando e não está respeitando ninguém.

Você vai conversar com seu aluno individualmente, conversar com os pais, para descobrir o motivo do comportamento de cada um e listar todas as identificações. 

Porém o que observamos é que a criança, infelizmente, na maioria dos casos, não tem exemplos na família, na vizinhança, de ética e cidadania, ou seja, não tem tido a oportunidade de conviver com pessoas disciplinadas, pessoas que respeitam e obedecem regras.

Mas você como educador, pode sim contribuir na resolução desses conflitos, procurar métodos para trabalhar a mudança na vida deste aluno.

Porém, antes disso, reflita também sobre esta pergunta: Você já fez uma autoavaliação para ver se você estar errando ou onde você deve melhorar? Talvez não. Não é mesmo?

Então, não esqueça de rever seus conceitos, analisar, identificar onde você também pode estar errando, talvez a primeira mudança necessária esteja em você.

Depois de listar todas as causas que identificou você vai para o próximo passo que é pesquisar, pedir ajuda e montar a sua estratégia e todo o seu planejamento.

Você vai agora por em prática na sala de aula o que você planejou.

Portanto, desenvolva seu projeto com cuidado, tenha foco, para que você tenha resultados satisfatórios.

Você viu que a indisciplina está relacionada com desordem, ou seja, algo que não estar em ordem.

Se o professor, de repente, não tem cumprido o seu papel de forma eficiente, ou mesmo tem deixado de fazer algo que deveria fazer, por mais simples que pareça ser, este professor, sem sombra de dúvida, tem agido com indisciplina.

É estranho dizer, mas infelizmente uma boa parte dos professores também são indisciplinados e quando isso acontece vem as consequências. Quer conhecê-las? É só continuar lendo…

PROFESSOR DESPREPARADO/ALUNO INDISCIPLINADO

Quando o professor não se prepara, e não se preocupa para fazer um bom trabalho, torna-se um professor indisciplinado, que consequentemente influencia de maneira espantosa os alunos, pois em sala de aula o aluno é o reflexo do professor.

Se o aluno não vê o professor como uma pessoa preparada, organizada, disciplinada, que obedecem às ordens da escola, provavelmente a tendência dele vai ser atuar da mesma maneira, conforme o papel dele como aluno.

O professor sempre quer ter o aluno ideal ou que todos os alunos sejam ideais, aquele que faz as suas tarefas, dedicado, organizado, participativo, enfim, o aluno nota 10, mas será se ele está sendo o professor ideal, o professor nota 10?

Infelizmente na maioria dos casos você se sente incapaz, principalmente no início de sua carreira, pois além de não ter experiência, não tem ou não conhecem as ferramentas certas para combater a indisciplina na sala de aula.

Você se sente inseguro, chegando a acreditar que não tem a competência necessária para exercer essa missão, missão de educar.

No entanto, é imprescindível apenas que você exerça com eficiência seu papel enquanto educador.

Para tanto, pesquise, estude, use sua criatividade e verás como você vai descobrir quais e como utilizar as ferramentas e estratégias adequadas, que tornam os alunos mais responsáveis e aplicados.

Ao ter em mãos essas novas ferramentas, a sua sala de aula passa por uma transformação porque as suas táticas também mudaram. Saiba mais – http://www.ebook10passos.gesianemeireles.com.br/

E para suas estratégias mudar de verdade! Veja o que vou te mostrar a seguir….

A INDISCIPLINA COMO CARÊNCIA DE CONSCIÊNCIA MORAL E ÉTICA EM NOSSOS ALUNOS

Uma das grandes razões da indisciplina em sala de aula é a carência que os alunos têm da consciência moral e ética. Carência essa, que tem gerado muitos conflitos entre os alunos e até mesmo na relação professor-aluno.

Por esse motivo, essa consciência tão necessária torna-se um dos grandes desafios da escola, e mais especificamente do professor que está lidando diretamente com os alunos.

É fundamental que a construção dos valores morais, seja ainda quando a criança começa a interagir com os mais diversos ambientes sociais.

O relacionamento que a criança tem com a família, as interações com professores e colegas em sala de aula, contribuirão com certeza para o desenvolvimento e a formação de sua personalidade.

A missão do professor e não somente dele, mas da escola, é justamente promover a CONCIÊNCIA MORAL E ÉTICA nos alunos.

Todos devem desenvolver essa consciência, que é reconhecer as regras como algo necessário para ordem do ambiente, da escola e da sociedade, e além disso, é importante para o seu próprio desenvolvimento e para cidadania.

Logo, é fundamental que o professor realize:

  • O acordo entre professor e aluno

A atuação do docente é construir com os alunos as normas da sala, ouvindo cada um deles, respeitando-os e mostrando o porquê de determinadas regras.

Eles precisam ser conscientizados que esse acordo é para organização do ambiente escolar e sobretudo para o bem de todos.

O aluno ao entender a necessidade das regras passará a cumpri-la, não por medo de ser punido, mas por ter adquirido a consciência do que deve e não deve ser feito.

Nunca esqueça que o papel do educador é levar o aluno a adquirir a consciência do seu dever como aluno e como ser humano, valorizar o respeito e o caráter.

Sim, tudo isso deve ser feito com muito diálogo, muita tranquilidade, tendo sensibilidade com o tratamento com os alunos, pois o ser humano é singular.

Além disso, o trabalho feito de forma eficiente é fundamental para o desenvolvimento do aluno no processo ensino-aprendizagem.

CONCLUSÃO

Diante do que foi visto, podemos concluir que a indisciplina faz parte do cotidiano do aluno e até do professor, mas que precisa e deve ser combatida e isso é papel da escola em parceria com a família.

Para tanto, é necessário que o professor consiga ver a indisciplina como um sintoma e a partir daí chegar na solução do problema.

Vimos também que a mais importante missão da escola é promover e construir a consciência moral e ética nos alunos, não só em relação ao comportamento, mas em relação ao conhecimento.

Logo, o papel do professor é determinante na sua construção, pois ele que é o responsável pela sua turma, tendo o poder de decidir quais os procedimentos adotar para um melhor ou pior resultado.

Professor, faça primeiramente a sua parte e você terá a prova de que valeu muito a pena o seu esforço enquanto educador, que se preocupa com o desenvolvimento do ensino-aprendizagem e da relação professor-aluno.

Veja abaixo as 5 grandes dicas que você pode fazer na sua sala de aula para manter os seus alunos disciplinados, talvez você já percebeu que é hora de rever suas práticas e ir em busca das soluções.

Creio que cada uma dessas dicas vai ajudar você a mudar a sua realidade e consegui o que você mais almeja como educador, consegui dar uma aula de verdade:

– Dica 1 : Construir com a sua turma o acordo entre professor aluno.

– Dica 2:  Chamar a atenção dos alunos individualmente

– Dica 3: Jamais discutir com o aluno, mas mediá-lo no que deve fazer

– Dica 4: Nunca ameaçar o aluno, mas sempre cumprir o que foi acordado

– Dica 5: Tornar o diálogo sempre presente 

– Dica 6:  Fazer da sua aula momentos prazerosos

Observe cada uma dessas dicas e reflita como tem sido sua prática pedagógica, pois nos próximos artigos trataremos sobre cada uma delas.

Comente aqui no blog se você está passando por algumas dessas frustrações e não sabe o que fazer. Se você tem alguma sugestão ou algo a acrescentar por favor aceitamos a sua contribuição e agradecemos. Não esqueça de compartilhar.